Buscar
  • Jorge Henrique Romero

A Chegada de Bolsonaro no Inferno

Atualizado: 9 de Set de 2020



Há de tudo neste mundo

Duvidar não há quem possa

Entre o céu e a nossa terra

Muita coisa se apossa

O poeta já dizia

Cai a noite, chega o dia

E uma hora a coisa engrossa.

Muita gente acredita

Que na vida pode tudo

Brigando com todo mundo

Confiando em seu escudo

Sem pensar que uma hora

Sem mãe ver o filho chora

Eita que dói o cascudo!

Este público já sabe

Não precisa dicionário

Vou falar de um infame

De um sujeito sem preparo

Que a muitos fez sofrer

Mesmo com o povo a morrer

Não ligava Bolsonaro.

Político todos falam

Que é tudo a mesma laia

O povo não acredita

Que nenhum se sobressaia

E aproveitando a revolta

Bolsonaro deu a volta

Pois estava de tocaia.

Quando o infeliz morreu

Foi grande a confusão

O diabo estava esperto

Pois viu na televisão

É agora que eu me lasco

Vou chamar logo um carrasco

Pra dar pisa nesse cão.

O circo logo se armou

O Bozo tinha amizade

Hitler, Mussolini, Franco

Foi grande a felicidade

Teriam mais companhia

E o Inferno se enchia

Com tanta cumplicidade.

Pinochet logo falou

- Por que demoraste tanto?

- Não se alegre meu amigo

Este aqui não é meu canto

Respondeu o Bolsonaro

- Com vocês não me equiparo

Passaria até por santo.

A gargalhada foi alta

Deu pra ouvir no Paraíso

- Que fuzuê é esse aqui?

Minha casa num é cortiço

Pode ir se arredando

Vá embora tô mandando

Aqui não aceito isso.

- Fale direito comigo

Eu sou uma autoridade

Respondeu o Bolsonaro

Com muita austeridade

O diabo num aguentou

Pegou o fone e ligou

Para a Suma Santidade.

Meu Senhor estava quieto

Aqui neste meu espaço

O Inferno já tá cheio

Lugar pra ele não acho

Tenha de mim piedade

Esse cão é só maldade

É grande meu embaraço.

- Não preciso nem dizer

Respondeu mestre Divino

Que a coisa aqui tá difícil

Querem pegar o cretino

Fique logo de alerta

Não deixe sua porta aberta

Que esse ódio não domino.

- Muito não posso fazer

Não está na minha alçada

Mas uma coisa eu sugiro

Pra resolver a parada

Realize um julgamento

Dê um fim nesse jumento

Besta fera e tapada.

- Obrigado, meu Senhor

Desculpe a inconveniência

Vou seguir o seu conselho

Só faço uma advertência

Se Bozo for condenado

Aí é que eu fico danado

Senhor tenha complacência!

Prometer nada não posso

O Divino respondeu

Mas se for absorvido

Depois do que transcorreu

Vão achar que é injustiça

Que escapou essa carniça

E que nada aconteceu.

Terminada a conversa

O diabo decidiu

Arranjar o julgamento

O Bozo logo sorriu

- De juiz não tenho medo

E meto logo meu dedo

O safado presumiu.

- Não me venha com afronta

Aqui não manda nadinha

Reconheça o seu lugar

Essa aqui é casa minha

Aqui não temos milícia

Deixe logo de malícia

Caboco baixe a bolinha.

Respondeu todo altivo

O tal Jair Bolsonaro

Desafiando o capeta

- Contigo não me comparo

Mas tenho muita influência

Batem até continência

Aqui é que tenho amparo!

- Deixe logo de conversa

Falou com cabeça quente

O capeta já estava

Ficando impaciente

Escolha seu defensor

Escolhi o promotor

De todos o mais potente.

Pra acabar a patifaria

Escolho o Ustra Brilhante

Será o meu advogado

Com defesa fulminante

De todos é conhecido

Impiedoso e temido

É só olhar seu semblante.

- Já mostra que está por fora

Do poder que aqui tenho

O promotor que escolhi

É grande seu desempenho

Em qualquer luta é campeão

Ilustríssimo Lampião

De feliz não me contenho.

Escolheram os jurados

Com muita satisfação

O capeta foi chamando

Era triste essa visão

Logo foi aparecendo

Aqueles que estavam ardendo

No Inferno há um tempão.

Dava medo de ouvir

Tamanha e medonha lista

Átila, Stalin e Nero

E muitos nacionalista

Que lascaram com o povo

Insistindo que o novo

Só com morte se conquista.

Brasileiros também tinham

Nesta lista tão horrível

Castelo Branco e Médici

Costa e Silva, o terrível

Toda essa cruel gentalha

Que nossa história atrapalha

Com terror indescritível.

Começou o julgamento

Desumano Ustra falou

Pediu atenção de todos

Seu cliente apresentou

- Este aqui é Bolsonaro

Que no Brasil deixou claro

Que a verdade despertou.

Conhecereis a verdade

E ela libertará

Foi esse o seu refrão

Que escolheu para lutar

Contra a corrupção

E os governos de ladrão

Que antes estava lá.

É defensor da família

Bons costumes e moral

Ele mostrou ser honesto

E muito original

De todos os presidentes

Não encontraram oponentes

Com tanto potencial.

Terminado seu discurso

Lampião se levantou

Não estava aguentando

A cabeça até coçou

De tudo que ouvi protesto

Se esse cabra é honesto

Santo Lampião eu sou.

Home deixe de lorota

Não engana mais ninguém

As palavras de sua boca

Não valem nenhum vintém

Só ganhou uma eleição

Por conta da rejeição

Que o PT tinha também.

De tudo que a gente escuta

É preciso duvidar

Se existe uma verdade

Essa vou lhes revelar

Se ele tem potencial

É só pra fazer o mal

E o povo enganar.

Não se meta a besta eu digo

Isso falo de bom grado

Aqueles que ainda engana

No Brasil chamam de gado

Faz fama com ignorante

Pensa ainda que é mandante

Sua burrice é seu pecado.

Bolsonaro enraiveceu

E mandou todos calarem

- Vou chamar minha milícia

Quero ver me afrontarem

Não sou burro, tá ok?

A todos demonstrarei

Quando eles aqui chegarem.

Lampião puxou o facão

E gritou: cabra safado!

Aqui vai levar uma peia

Pra aprender ser educado

O capeta interrompeu

Quem manda aqui sou só eu

O barraco estava armado.

Foi chifre voando alto

Bolsonaro escafedeu

Encontrou o Malafaia

Que também se escondeu

Fingiu nem o conhecer

E muito se arrepender

Do apoio que lhe deu.

Foi grande o rebuliço

Que a terra até tremeu

A praga mesmo no Inferno

Sossego ao povo não deu

Procuram até agora

É chegada a sua hora

O diabo ensandeceu.

Finalizou o capeta

Rogando uma maldição

Se elegerem um presidente

Com tanta contradição

Desisto do meu Inferno

Vou pro Brasil e governo

Será melhor que esse cão!


101 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo